Atenção: Esse site só pode ser visualizado perfeitamente em um browser que suporta Web Standards. É recomendável que você atualize o seu browser clicando aqui. Obrigado e desculpe o transtorno.
28/06/2021

Cooperativas capixabas promovem a inclusão de Pessoas com Deficiência

Promover a transformação social é um dos objetivos do modelo de negócio cooperativista, e isso envolve conceder oportunidades de trabalho e renda para uma diversidade de pessoas, entre elas as Pessoas com Deficiência (PcDs).

Por isso, no Espírito Santo, as cooperativas estão alinhadas com a promoção da inclusão social. Prova disso é que embora a Lei de Cotas para Pessoas com Deficiência (8.213/91) exija a contratação de mais de 5% do quadro de colaboradores apenas para as companhias com mais de 1.001 empregados, essa já é uma medida adotada por cooperativas de todos os portes no estado.

Para se ter uma ideia, em 2019 havia 134 cooperativas atuantes e registradas no Sistema OCB/ES – a unidade estadual do cooperativismo no Espírito Santo. A maioria delas (108) possuíam até 50 colaboradores, enquanto as demais (26) empregaram de 51 a 500 colaboradores. Ou seja, ainda que nenhuma coop capixaba empregue mais de 1.001 pessoas, elas estão em consonância com a legislação.

O resultado desse comprometimento é que, em 2019, um total de 5% dos colaboradores das cooperativas capixabas era formado por PcDs. O presidente do Sistema OCB/ES, Dr. Pedro Scarpi Melhorim, enfatiza a importância desse dado e ressalta o lado social do cooperativismo.

“O cooperativismo, além de ser muito forte economicamente no Espírito Santo, exerce a sua função social com muita expressividade ao permitir que uma diversidade de pessoas encontre espaço e oportunidades de trabalho dentro das cooperativas. Temos muito orgulho desse percentual de Pessoas com Deficiência (PcDs) que estão dentro das nossas cooperativas”, destaca.

Em complemento, o superintendente do Sistema OCB/ES, Carlos André Santos de Oliveira, informa que a unidade estadual do cooperativismo capixaba manterá o incentivo à contratação de PcDs pelas cooperativas.

“Queremos que as cooperativas capixabas continuem sendo reconhecidas pelo seu compromisso com a Lei de Cotas para Pessoas com Deficiência. Por isso, continuaremos a estimulá-las a empregarem, valorizarem e reconhecerem o trabalho das PcDs”, diz o superintendente.

Para ter acesso a esse e outros dados, acesse o 1º Anuário do Cooperativismo Capixaba (clique aqui).